Importância do diagrama unifilar

 

Este artigo, dentre todos os objetivos técnicos, tem por finalidade conscientizar você da importância do diagrama unifilar e principalmente, porque a segurança de seu projeto está diretamente relacionada a este documento.

 

Você consegue imaginar uma busca ao tesouro sem um mapa? Esta analogia simplista mostra a importância do diagrama unifilar para o profissional que está realizando a montagem e/ou manutenção em uma infraestrutura elétrica.

 

Como você pode observar na imagem abaixo, este é um diagrama unifilar residencial completo que elaboramos durante as aulas do Curso Projetos Elétricos Residenciais, Conceito e Prática no AutoCAD.

 

 

Como é mostrado no curso, tudo se inicia a partir das dimensões dos cômodos para podermos, a partir do que a NBR 5410 estabelece, determinar os pontos de tomadas e iluminação de cada um dos ambientes deste projeto.

 

Pontos de tomados e os comandos responsáveis pelo controle da iluminação

 

 

O posicionamento estratégico de cada um dos componentes depende de fatores como:

 

• A própria NBR 5410

• Necessidade do Cliente

• Disposição dos eletrodomésticos e consumidores em cada ambiente

 

Mas, depois do cálculo de demanda e determinação do relógio padrão é que começamos efetivamente a criar o esboço do diagrama elétrico na residência, os cálculos preliminares determinam a demanda instalada e conseguimos definir a partir daí o dispositivo de proteção e principalmente os condutores que alimentarão toda a rede de alimentação dos circuitos elétricos determinados em nosso projeto.

 

 

Considerando que todo o memorial de cálculos já foi realizado e já possuímos em mãos os circuitos elétricos que irá compor nossa infraestrutura do projeto temos o esboço do quadro de distribuição que possui o conjunto de disjuntores responsáveis por cada um dos circuitos elétricos.

Observe que no quadro de distribuição (imagem abaixo) possuímos a identificação dos disjuntores, bitola dos condutores e o número dos circuitos, e será a partir desta distinção que podemos iniciar a leitura e entendimento do diagrama unifilar apresentado no começo do artigo, esse diagrama unifilar residencial completo ensinamos a elaborar no Curso Projetos Elétricos Residenciais, Conceito e Prática no AutoCAD.

 

 

O quadro de distribuição ou quadro Geral de disjuntores é representado na planta baixa com a simbologia mostrada da imagem abaixo, e é a partir dele que "nasce" cada um dos circuitos que compõe o projeto elétrico.

 

 

Fica claro no diagrama que a quantidade de eletrodutos que saem do Quadro Geral possui um objetivo comum de não agrupar muitos condutores em um único ponto já que isto implicaria em problemas como fator de agrupamento (Previsto no item 6.2.5.5 da NBR 5410), capacidade de acomodação dos eletrodutos (item 6.2.11.1 da NBR 5410) e também a dificuldade de realizar a instalação física e uma futura manutenção desta infraestrutura.

A indicação da bitola dos condutores juntamente as simbologias destes é crucial para o profissional que irá realizar a instalação.

 

 

No diagrama elétrico do quadro geral (imagem abaixo) é possível observar que a iluminação social, ou seja, quartos, sala, corredor, hall, etc. serão alimentados pelo circuito C1, podemos então comprovar isso no diagrama unifilar.

 

 

Já a iluminação de serviço (Cozinha, Copa, Área de Serviço, etc.) será alimentado pelo circuito C2 como pode ser observado no diagrama unifilar da imagem abaixo.

 

Um detalhe importantíssimo e que muitas vezes passa despercebido, no início do projeto é necessário que seja definido exatamente como será a iluminação dos cômodos, uma vez definido que trata-se de iluminação que possua partes metálicas como lustres, arandelas, etc. se faz necessário a utilização também do condutor terra, que deverá por sua vez ser individual para cada circuito da mesma maneira que é tratado o aterramento dos pontos de tomadas.

Na identificação do circuito de iluminação em um diagrama unifilar conseguimos encontrar algumas simbologias específicas, é o caso dos interruptores, que podem ser simples, paralelo ou em alguns casos o intermediário, veja um exemplo na imagem abaixo:



Mas observe que cada um dos interruptores possui uma letra, neste caso minúscula, estes são símbolo literais que representam o ponto de iluminação a ser acionado, veja na imagem abaixo que este mesmo símbolo está também no ponto de iluminação e no retorno que chega ao ponto de iluminação.



No caso das tomadas temos a separação em basicamente três tipos de simbologias:

1. Tomada Baixa
2. Média altura
3. Alta

A tomada é referenciada também através de um algarismo que representa o circuito  que parte do Quadro de Disjuntores para alimentá-la.

Existem dois tipos de aplicação para as tomadas:

• TUG (Tomadas de Uso Geral)
• TUE (Tomadas de Uso Específico)

Normalmente as TUE’s recebem um eletroduto isolado por possuírem cabos mais robustos uma vez que as correntes elétricas destas tomadas tendem a ser sempre mais altas, é o caso do chuveiro por exemplo:



Em toda e qualquer situação os circuitos de tomadas contam com o condutor de aterramento que é individual por circuito e saem do quadro de distribuição juntamente com os demais condutores.

Um detalhe muito importante e que mostra o comprometimento do projeto com a segurança é a instalação de uma simples campainha, observe que neste projeto temos a campainha da seguinte maneira:

De maneira nenhuma podemos colocar a fase no interruptor da campainha, pois estaríamos expondo ao risco quem interage com este equipamento no momento do acionamento, vale lembrar que neste tipo de dispositivo, comumente temos a exposição a água, correndo risco de acidentes.

Espero que tenha gostado do artigo, qualquer dúvida entre em contato conosco através do email contato@ew7.com.br

 

Comentários  

 
#6 Administrator 28/10/2016 14:11
Citando Anderson Lemos:
Olá amigo, em que parte da norma 5410 consta a informação que devemos ligar o neutro no interruptor da campainha?
Realmente faz sentido quando analisa a segurança, porém desconheço essa informação.

Desde já agradeço!

Olá Anderson, realmente a norma 5410 não cita essa medida. Isso é uma recomendação feita por profissionais e estudiosos que atuam na área justamente focando na segurança.
Demais dúvidas, estou a disposição!

Att,
Tiago Moreira
 
 
#5 Anderson Lemos 28/10/2016 11:53
Olá amigo, em que parte da norma 5410 consta a informação que devemos ligar o neutro no interruptor da campainha?
Realmente faz sentido quando analisa a segurança, porém desconheço essa informação.

Desde já agradeço!
 
 
#4 Administrator 30/05/2016 08:35
Citando Joilson Oliveira:
Existe algum critério específico para a escolha do circuito onde será instalada a campainha?

Olá Joilson, sugiro escolher o circuito de iluminação, já que a ligação é semelhante e a corrente não é muito alta na maioria das vezes.
Demais dúvidas, estou a disposição!

Att,
Tiago Moreira
 
 
#3 Joilson Oliveira 29/05/2016 19:21
Existe algum critério específico para a escolha do circuito onde será instalada a campainha?
 
 
#2 Administrator 26/11/2015 08:58
Citando Olavo Lucena:
Então como a campainha é alimentada somente com o neutro e o retorno do neutro? não é pela fase que chega energia à campainha?

Olá Olavo, a campainha é sim alimentada pela fase . O pulsador da campainha mostrado na figura acima que é ligado ao neutro e ao retorno.
Demais dúvidas, estou a disposição!

Att,
Tiago Moreira
 
 
#1 Olavo Lucena 26/11/2015 00:19
Então como a campainha é alimentada somente com o neutro e o retorno do neutro? não é pela fase que chega energia à campainha?
 

@ Copyright 2018, EW7. Todos os direitos reservados.